- Porque é que eu estou aqui? - perguntou Adão, num sentido existencial.
- Porque é que não estás com a Eva? - interrogou-o Deus, num sentido literal.
Adão coçou estupidamente a cabeça.
- Não sei. - respondeu.
Deus descaiu os ombros, com desânimo, e disse:
- Adão és um idiota.

Qual o sentido da vida?


foto de dkj1974
(o que interessa é que seja perfeitinho)
(mesmo que seja feiinho)

Ora vejamos o que dizem alguns tipos que acham que percebem um chavelho disto:

"Não sei se o Universo, com as suas inumeráveis galáxias, estrelas e planetas, tem algum sentido mais profundo, mas é muito claro para nós, humanos que vivemos nesta Terra, nos defrontamos com o objectivo de uma vida feliz."
Dalai Lama, líder político e espiritual tibetano, Voices from the Heart

Ceeerto! Esperava mais de ti, ó Dalai (sinceramente, pá). Se não sabias a resposta não punhas o dedo no ar e ficavas caladinho.

----
"Quando a felicidade falha, a existência torna-se uma louca e lamentável experiência."
Georges Santayana, 1836-1952, filósofo americano, The Life of Reason

Aaaa... acho que este não percebeu muito bem a pergunta (é americano, já se sabe... tinha de fazer drama hollywoodesco). Tu é que és uma louca e lamentável existência...

----
"Não será justamente a felicidade o que todos querem, sem excepção?"
S. Agostinho, 354-430, teólogo e filósofo do cristianismo, Confissões

Hah! Este é cá dos meus! (nada como uma boa pergunta quando se pede uma boa resposta).
Mas, vendo bem, também disse:

"Quando te procuro, meu Deus, estou à procura da felicidade. Procurar-te-ei para que a minha alma viva, porque o meu corpo vive da minha alma, e a minha alma vive de ti."

Portanto... assim, de repente, vêm-me à cabeça palavras aconchegantes como: "mortalhas" e "enrolar"; expressões emblemáticas do género: "faz-me aí um filtro" e "então, isso já está queimado?", arrematado com um muito elucidativo "é que já estou a sentir a fumaça!" (LSD, se tivermos de resumir tudo num acrónimo impecável).

17 comentários:

cal disse...

ópá, ópà

(the blogger formerly known as clammity)

quem ler isto vai pensar que gostas do Astérix e dos Monty...

Meaning of life...deixa-me cá ver...

(optei por um comment assim brandinho, em primeira abordagem, com medo das chibatadas...gosto mais do género da «fondue romana» : aos leões!)

Rafeiro Perfumado disse...

Eu acho que o sentido da vida é em frente...

FAQ(er) disse...

Oh, foste a minha primeira! Jamais te esquecerei! (imaginar suspiro imbecil) :)

Astérix... assim-assim.
Monty... assim: http://www.youtube.com/watch?v=CkxCHybM6Ek&feature=related

«fondue romana» (também tens um sentido de humor pouco retorcido, tens) Os santinhos te conservem!

E, agora, uma pergunta para ti:
Cal é a coisa, cal é ela, que ainda agora falei nela? :)

~

Rafeiro Perfumado, como canídeo que és, suponho que há uma certa lógica em seres puxado pelo nariz para a frente. Mas... (e longe de mim estar aqui a levantar questões polémicas)... e se, em frente, tiveres uma parede intransponível quando, mesmo ali ao lado, há uma portinhola aberta? Ora diz-me lá... não te parece que o melhor a fazer é deslizar para o lado, como quem não quer a coisa?

Mas, afinal, o que é que eu sei disto? O meu departamento é o das perguntas. (ops... isto quase se qualifica como uma resposta... estou no vai e não vai para lhe colocar um ponto de interrogação).

Niagara Et Al disse...

É o quê?!?!?!?!?

FAQ(er) disse...

Isso é uma pergunta ou uma resposta?

Se é pergunta, é bem-vinda (apesar de não servir para... em abono da verdade, nadinha).
Se é resposta... bem, digamos que tenho ali uma chibata jeitosa a precisar de fazer a rodagem (as tiras de couro até já estalam de satisfação).

Alice in Wonderland disse...

Não preciso de dizer que gosto muito de quase tudo o que escreves por aqui (sim, especialmente das pornices ;) ).
És mesmo assim, estás assim ou é só "para inglês ver", que é como quem diz para agradar ao mulherio que por aqui anda (no qual eu me incluo, com as devidas distâncias é claro)?

FAQ(er) disse...

Alice (permites-me a intimidade?), quando muito, seria para inglesa ver.
Isto é apenas 1% de mim. O meu ser todo é inimaginável.

Alice in Wonderland disse...

Será que não andamos todos a viver uma fantasia colectiva? Se fosse real, como é que aguentariamos viver com isso? (ou sem isso...) ou será que é apenas por sermos crescidinhos e já não sabermos correr riscos?

FAQ(er) disse...

Escolheste bem o teu nome. :)
Mas o mundo é real. Espreita para fora da toca do coelho.

Alice in Wonderland disse...

Tenho medo... mesmo. Não sei o que fazer.

FAQ(er) disse...

Conheces alguém que te estenda a mão e te diga "aceita"? (o medo tem medo disso)

Alice in Wonderland disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
FAQ(er) disse...

Mais letras apagadas. Isso é medo do que escreves na primeira pessoa ou medo do que lêem terceiras pessoas?(desistes demasiado rápido daquilo que tens para dizer)

Alice in Wonderland disse...

Eu não sei desistir (na maioria das vezes por burrice e teimosia, noutras porque... é melhor não escrever para não ter que apagar a seguir). Já te tinha dito...

Sim, talvez sejam as duas coisas. Tu às vezes não te assustas quando lês o que escreves?

FAQ(er) disse...

O que escrevo faz parte do que sou. Conheço-me. Isso não me assusta.

Alice in Wonderland disse...

Eu também me conheço, por isso é que me assusto.

FAQ(er) disse...

Se te conheces devias ser tua amiguinha do peitinho. E dar muitinhos abracinhos a tia mesma. Se te assustas, "quase" aposto que é mesmo só uma brincadeirinha de gente conhecida. :)

Achavam mesmo que eu tinha respostas?

Estão à espera que responda?

FAQed

A minha foto
cada um sabe de si (si, de mim, não de você... você sabe de si, ou seja, cada um sabe de você... vendo bem, todos sabem de si)
Achas que o mundo é uma equação estranha sem fórmula de resolução? Já pensaste enfiar os queixos na droga mas, ah e tal, isso custa os olhos da cara? Já ponderaste (seriamente) vender os olhos da cara para enfiar os queixos na droga? Parece-te que és vítima de mau-olhado frequente e/ou persistente? Já correste tudo quanto é bruxo charlatão e uma catrefada de senhoras que acham que a palma da mão é um bilhete de identidade metafísico? Resumindo... não regulas bem da cabeça?Pois não desesperes! A cura (vá, terapia... não queremos ser demasiado optimistas) para toda essa angústia EXISTE! A comunidade científica mais céptica dirá que é um placebo mas, afinal, o que raio sabem esses! Por fim... tcharan! O caminho para a CURA (terapia, vá): thefaqer[at]gmail[dot]com

Apelo à cidadania.

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Nada de roubalheiras literárias, pode ser? (se não puder ser, que as mentes larápias se transformem numa lesma em decomposição... uma ratazana cadavérica também serve... conhecem o termo "esforriqueira"?... bem, isso adequa-se ao estado de matéria em que devem ficar os órgãos internos dos/as prevaricadores/as)