- Porque é que eu estou aqui? - perguntou Adão, num sentido existencial.
- Porque é que não estás com a Eva? - interrogou-o Deus, num sentido literal.
Adão coçou estupidamente a cabeça.
- Não sei. - respondeu.
Deus descaiu os ombros, com desânimo, e disse:
- Adão és um idiota.

Consegues imaginar um sorriso?

imagem de jadaography

Olá, disse a rapariga.
Ela falou para o ar. Era uma conversa invisível. É assim que se conversa sem mais alguém para escutar.
O ar não respondeu mas ouviu-a. O ar é bom ouvinte. Consegue manter uma conversa invisível como ninguém sem resmungar.
Sabes, ar, eu sei que estou a falar sozinha, disse a rapariga. Eu sei que não estás aqui. Quero dizer... estás, mas não és ninguém. Não faz mal. Eu também não quero falar com ninguém.
A rapariga sorriu e encostou-se à parede. Ajeitou o vestido e imaginou coisas sem sentido. A parede podia ser uma folha de papel onde se desenhavam balões de pensamento. Todas as tolices fariam um grande reboliço lá dentro. A rapariga seria um desenho animado e a parede ficaria cheia de balões-nuvem. Um deles teria um pensamento simples. Um sorriso.
É o que te digo, ar, sorriu a rapariga. Um sorriso é fácil de imaginar. Um traço com curva e duas ou três pintinhas. Tolices cá minhas.
O ar beijou o rosto da raparia com um sopro. Ela sorriu e baixou o rosto, como se tivesse acabado de conhecer o primeiro amor da sua vida. O ar fê-la corar. O ar sabia-lhe o pensamento. E em alguns deles havia muito descaramento.
Sabes, ar, gosto de te escolher para conversar, disse a rapariga. Ouves sem esperar pela tua vez de falar. Dás tempo de sorrir. De imaginar. E o que é mesmo bom é que não tenho de te pedir para ficar.
A rapariga encheu mais um balão de pensamento e deixou-se estar. Encostada à folha de papel-parede. A sorrir com toda a vontade que se pode imaginar.

7 comentários:

Bianca disse...

inevitável não sorrir assim, sorrir para ti.
Tão bonito.
Beijo

FAQ(er) disse...

Até um quarto escuro, com mais nada para além do negro cerrado, é bonito se quisermos apenas fechar os olhos e descansar.

Fada disse...

:)

FAQ(er) disse...

É um bom começo.

Fada disse...

:D

(É uma boa continuação ;) )

FAQ(er) disse...

Sim. E nisto de sorrisos não se deve falar de fins.

Fada disse...

E se eu te der um sorriso assim:

:*

Gostarás que seja o fim?

Achavam mesmo que eu tinha respostas?

Estão à espera que responda?

FAQed

A minha foto
cada um sabe de si (si, de mim, não de você... você sabe de si, ou seja, cada um sabe de você... vendo bem, todos sabem de si)
Achas que o mundo é uma equação estranha sem fórmula de resolução? Já pensaste enfiar os queixos na droga mas, ah e tal, isso custa os olhos da cara? Já ponderaste (seriamente) vender os olhos da cara para enfiar os queixos na droga? Parece-te que és vítima de mau-olhado frequente e/ou persistente? Já correste tudo quanto é bruxo charlatão e uma catrefada de senhoras que acham que a palma da mão é um bilhete de identidade metafísico? Resumindo... não regulas bem da cabeça?Pois não desesperes! A cura (vá, terapia... não queremos ser demasiado optimistas) para toda essa angústia EXISTE! A comunidade científica mais céptica dirá que é um placebo mas, afinal, o que raio sabem esses! Por fim... tcharan! O caminho para a CURA (terapia, vá): thefaqer[at]gmail[dot]com

Apelo à cidadania.

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Nada de roubalheiras literárias, pode ser? (se não puder ser, que as mentes larápias se transformem numa lesma em decomposição... uma ratazana cadavérica também serve... conhecem o termo "esforriqueira"?... bem, isso adequa-se ao estado de matéria em que devem ficar os órgãos internos dos/as prevaricadores/as)