- Porque é que eu estou aqui? - perguntou Adão, num sentido existencial.
- Porque é que não estás com a Eva? - interrogou-o Deus, num sentido literal.
Adão coçou estupidamente a cabeça.
- Não sei. - respondeu.
Deus descaiu os ombros, com desânimo, e disse:
- Adão és um idiota.

O que é a tristeza?


(não fiquem tristes... são apenas palavras)

Na entrada do circo, estava um palhaço. Era uma entrada saída. Era um palhaço não palhaço.
O circo era um velho castelo de lona morta. O vermelho vivo já não o era. Sobrevivia um resquício de glória nas costuras onde a chuva entrou menos e o sol não brilhou jamais.
A abertura era apenas um rasgão de tecido ressequido, como um golpe na pele de uma pessoa muito velha, que demora a sangrar.
Pois a ferida da lona já não tinha sorrisos para sangrar. Riso esquecido, palhaço entristecido.
Depois, os trapezistas migraram para sul. Dizem que eles estavam fartos de voar nas cordas e que criaram asas.
O palhaço gostaria de sorrir e acreditar que sim. Mas ele sabia que não.
Os trapezistas enfrentaram a falta de espanto do público, sem rede... morreram todos no chão.
E o ilusionista? Esse, o palhaço sempre soube que tinha algo mais na manga para além da mão. Esse seguiu caminho que, para iludir, bastava-se sozinho.
O palhaço deixou-se ficar entre o rasgão da lona, como se fosse ele a faca. Lá fora, o céu ameaçava com chuva. Ambos tinham a cara cinzenta.
A cor do céu era água de nuvens furiosas.

A cor do palhaço era apenas tinta.
A chuva veio.
O palhaço entristecido pensou em todas as feras que cresceram nos úteros encarcerados das jaulas.
Os leões já não rugiam o seu poderio majestoso, para não perderem a dignidade diante do estalar do chicote. Todas as chicotadas no ar eram apenas farsas. O domador e as feras eram apenas actores que contracenavam na mesma peça... secretos comparsas.

A água caiu do céu e a terra subiu do solo. Ambas se misturaram em lama, como se fosse um canto triste de um pássaro que já não existe, ou de um amante abandonado na cama.
E os equilibristas? Esses, não ganharam asas. Ganharam juízo e desistiram da ilusão do balanço perfeito. Desceram do arame e esqueceram os cilindros rolantes. O juízo fê-los duvidar da possibilidade do equilíbrio... já nada poderia voltar a ser como dantes. Decidiram viver sentados. Quietos. Perfeitamente equilibrados.
Ficou mais frio.
A água guardada na flor de esguicho da lapela gelou no tubo de plástico, junto ao peito. O palhaço sentiu-a como o próprio sangue que se despedia do calor do corpo.

E o mestre do picadeiro? O entusiasmo desse exuberante apresentador era falso ou verdadeiro?
Reformou-se. Passou a sobreviver de uma pensão que lhe trazia tudo menos dinheiro.

O palhaço?
Bem, o palhaço olhou para o céu (o horizonte dava-lhe um aperto no coração). O rosto do céu chorava e o rosto do palhaço aceitava.
Era tarde. Estava na hora de mais um espectáculo. Mais uma vez, faria rir cadeiras vazias.
Voltou para dentro.
O espectáculo tinha de continuar.

(eu disse para não ficarem tristes)

22 comentários:

francis disse...

ainda bem que avisaste.

Fada disse...

Gosto do teu escrever...

E se eu ficar triste?

FAQ(er) disse...

francis, quem é amigo, quem é?

~

Fada, e se sorrires?

Fada disse...

E se o sorriso for triste?

FAQ(er) disse...

Também faz falta.

Ana Rita disse...

Afinal sempre tens respostas... :)
Foste "apanhado" Adão?

FAQ(er) disse...

Eu não dou respostas, as mentes sagazes é que as deduzem.
(e eu sou... inapanhável)

Maya disse...

Tu estás bem?

FAQ(er) disse...

Oh, terei de explicar que esta tristeza é do tipo que faz sorrir em silêncio, como se soubéssemos tudo o que há para saber?

(estou bem, brigados)

Ana Rita disse...

És... um grande aldrabão, perdão, Adão!
Fico à espera que um dia destes perguntes "O que é a alegria?" Pode ser? Perguntas perguntas pedidas? :)

FAQ(er) disse...

Sou mais Adão do que aldrabão (e olha que Adão não consta no meu BI).

Se souberes o que é a tristeza, não saberás o que é a alegria por exclusão? Mas posso perguntar isso, por aqui, um dia, só para ver se uns sabem responder e outros não. (isto é que vai ser distribuir chibatadas no lombo de quem responder!)

Ana Rita disse...

Tenho que resistir à tentação de insultar todos os "Adãos" deste mundo... não é nada pessoal.

Tanto entusiasmo! :p Claro que sei o que é a alegria... mas tu pareces ser do tipo que sabe mas não quer nada com ela.
Estou a abusar?

FAQ(er) disse...

Queres levantar o véu sobre essa questão do Adão?

Eu amo a alegria! (mais entusiasmo)

Se estivesses a (tentar) abusar, de alguma maneira, eu não te diria, mostrar-te-ia.

Ana Rita disse...

O que queres que te diga mais? Melhor descrição que a tua é impossível... Só que eu não sei se seria tão sucinta como Deus... mas ando a treinar para isso ;)

Lamento, pouco convincente.

!? como assim?

Only Words disse...

Ainda bem que li e segui o teu conselho! hehehehehe

FAQ(er) disse...

Ana Rita... assim.

Convencida?

~

Only Words, as sensações estão tanto nas palavras que escrevemos como nas memórias que nos assaltam quando as lemos.

Ana Rita disse...

"Não sei ser triste a valer", mesmo quando me dói a alma.
Queres os meus sapatos?

FAQ(er) disse...

Os sapatos não fazem, também, doer os pés?

Ana Rita disse...

Fazem muita coisa. Queres mesmo saber?

Convencida. Mas será que devo?

FAQ(er) disse...

Diz-me lá o que mais fazem os sapatos, a ver se eu também fico convencido.

Kitty * disse...

Gostei muito.

FAQ(er) disse...

Kitty... :)

Achavam mesmo que eu tinha respostas?

Estão à espera que responda?

FAQed

A minha foto
cada um sabe de si (si, de mim, não de você... você sabe de si, ou seja, cada um sabe de você... vendo bem, todos sabem de si)
Achas que o mundo é uma equação estranha sem fórmula de resolução? Já pensaste enfiar os queixos na droga mas, ah e tal, isso custa os olhos da cara? Já ponderaste (seriamente) vender os olhos da cara para enfiar os queixos na droga? Parece-te que és vítima de mau-olhado frequente e/ou persistente? Já correste tudo quanto é bruxo charlatão e uma catrefada de senhoras que acham que a palma da mão é um bilhete de identidade metafísico? Resumindo... não regulas bem da cabeça?Pois não desesperes! A cura (vá, terapia... não queremos ser demasiado optimistas) para toda essa angústia EXISTE! A comunidade científica mais céptica dirá que é um placebo mas, afinal, o que raio sabem esses! Por fim... tcharan! O caminho para a CURA (terapia, vá): thefaqer[at]gmail[dot]com

Apelo à cidadania.

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Nada de roubalheiras literárias, pode ser? (se não puder ser, que as mentes larápias se transformem numa lesma em decomposição... uma ratazana cadavérica também serve... conhecem o termo "esforriqueira"?... bem, isso adequa-se ao estado de matéria em que devem ficar os órgãos internos dos/as prevaricadores/as)