- Porque é que eu estou aqui? - perguntou Adão, num sentido existencial.
- Porque é que não estás com a Eva? - interrogou-o Deus, num sentido literal.
Adão coçou estupidamente a cabeça.
- Não sei. - respondeu.
Deus descaiu os ombros, com desânimo, e disse:
- Adão és um idiota.

Somos pó?


Nasci de uma nuvem estelar que não tinha tempo de existir nem lugar.
Os elementos fizeram amor para me apresentar à dor.

Não nascemos a chorar?

Ainda não conhecemos o medo. É muito cedo.
Só pode ser dor. Ou saudade do ventre... do calor.

Necessidade de respirar?
Não.
No mundo há muito ar.

Acredito que é medo da terra. Esse é o único medo que nasce connosco.
É essa dor que a criança berra.

Carne, não somos.
Somos páginas velhas sufocadas em pesados tomos.

Temos idade e arrogâncias de verdade.
Com o decair da razão vem-nos o aperto ao coração.

Somos pó.
Só.

18 comentários:

Alice in Wonderland disse...

Atchimm! (desculpa, não resisti)
Tens um pingo de humor? ;)

Enquanto aqui andarmos somos todos muito mais do que isso.

FAQ(er) disse...

Hah! (essa foi boa... bem, razoavelzinha, vá... pronto, foi boa)

Somos nuvens, antes de nos dispersarmos em pó.

Alice in Wonderland disse...

foi magnífica!

Onde é que se compra um dicionário que te traduza? (por vezes não é nada fácil entender o que escreves)

Fada disse...

Alice in Wonderland:
Ia fazer o mesmo que tu!
Ahahahahahahahaha

És pó?
Eu sou água. :)

Alice in Wonderland disse...

Fada, ;)

FAQ(er), quantas doses de paciência é que disseste que precisavas?

Patrícia Manhão disse...

Olha...estás nos meus favoritos.

Gostei mesmo muito do que li!

cal...formerly known as calamity disse...

isso lembra-me o epitáfio da Dorothy Parker...«sorry for the dust»

Fada disse...

FAQ(er), conheces isto?

http://www.youtube.com/watch?v=_HOCYpFjDRY&feature=player_embedded

:D

francis disse...

dust to dust
ashes to ashes

FAQ(er) disse...

Alice... gaba-te cesta, que vais à vindima.

Aqui tudo se perde na tradução. Tenho de ser interpretado com base na intuição. (e mais não digo)

Duas doses (para começar).

~

Fada, pó e água formam lama. (uma certa badalhoquice)

Eles andam aí. Seria muito improvável que eu fosse o único. :)

~

Patrícia, olha... estou nos teus favoritos.

Gosto que gostes de ler.

~

cal, o facto de as minhas palavras te lembrarem as de uma pessoa com tendências suicidas merece alguma introspecção.

~

francis

lust to lust
lashes to lashes

Fada disse...

Gostas de badalhoquices?

Não és o único, mas uma coisa te garanto: És o ÚNICO homem que nunca se queixou que eu faço muitas perguntas... :D
És paciente?

Alice in Wonderland disse...

Nunca ouvi esse da cesta e da vindima. O que é que significa?
o mesmo que "elogio em boca própria é vitupério"? (já mo dizia a minha professora da primária... (suspiro))

Mas não és tu que te consideras um génio?! Eu ao menos fico-me apenas pelos comentários geniais... :)

FAQ(er) disse...

Fada, eu sou um rapaz muito asseado (não confundir com assanhado).

Por norma, só me queixo quando a reclamação pode ser eficaz (duvido que deixasses de fazer perguntas se eu me queixasse).
Há uma situação, pelo menos, em que todos somos pacientes: quando vamos ao médico.

~

Alice, tinhas uma professora primária que sabia das coisas.

Se um génio não se souber reconhecer não pode ser um génio. (é apenas um presunçoso que sabe algumas coisas... o que, obviamente, não se aplica a mim)

Fada disse...

E assanhado, também és?
E sendo asseado, prescindes sempre de badalhoquices?

Experimenta queixar-te, se sentires que deves. Qualquer reclamação será devidamente estudada e a atitude seguinte tê-la-á em conta.

Nem sempre. Podemos ir de visita, não?

FAQ(er) disse...

Gosto de frango assanhado. De castanhas assanhadas. De milho assanhado... (de resto, escapa-me a relação entre assanhado e badalhoqice).

Queixas, leva-as o vento.

Se formos de visita, somos visitas (nem o OMO lava mais branco).

Fada disse...

Frango, castanhas e milho assanhados?...
São aqueles que nos impelem a comê-los com ganância? Duma forma badalhoca?

Só depois de eu deixar que as leve. :)

Então, dás-me razão?

FAQ(er) disse...

Ninguém é dono da razão. Por uma questão de coerência, não posso dar-ta. (e se formos de visita não vamos "ao médico", vamos ver um/a amigo/a ou o que mais seja)

Fada disse...

Lol

Ninguém é dono do ar, mas no entanto, podemos dá-lo a alguém num sopro de vida.

E se for de visita, vou ao médico sem ser paciente.
(A tua paciência tem limites? Já os atingi?)

Achavam mesmo que eu tinha respostas?

Estão à espera que responda?

FAQed

A minha foto
cada um sabe de si (si, de mim, não de você... você sabe de si, ou seja, cada um sabe de você... vendo bem, todos sabem de si)
Achas que o mundo é uma equação estranha sem fórmula de resolução? Já pensaste enfiar os queixos na droga mas, ah e tal, isso custa os olhos da cara? Já ponderaste (seriamente) vender os olhos da cara para enfiar os queixos na droga? Parece-te que és vítima de mau-olhado frequente e/ou persistente? Já correste tudo quanto é bruxo charlatão e uma catrefada de senhoras que acham que a palma da mão é um bilhete de identidade metafísico? Resumindo... não regulas bem da cabeça?Pois não desesperes! A cura (vá, terapia... não queremos ser demasiado optimistas) para toda essa angústia EXISTE! A comunidade científica mais céptica dirá que é um placebo mas, afinal, o que raio sabem esses! Por fim... tcharan! O caminho para a CURA (terapia, vá): thefaqer[at]gmail[dot]com

Apelo à cidadania.

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Nada de roubalheiras literárias, pode ser? (se não puder ser, que as mentes larápias se transformem numa lesma em decomposição... uma ratazana cadavérica também serve... conhecem o termo "esforriqueira"?... bem, isso adequa-se ao estado de matéria em que devem ficar os órgãos internos dos/as prevaricadores/as)