- Porque é que eu estou aqui? - perguntou Adão, num sentido existencial.
- Porque é que não estás com a Eva? - interrogou-o Deus, num sentido literal.
Adão coçou estupidamente a cabeça.
- Não sei. - respondeu.
Deus descaiu os ombros, com desânimo, e disse:
- Adão és um idiota.

Hum... é mesmo por aí?

imagem de webworm

Sim, sim, é mesmo por aqui. Por aqui, menina inocente,
disse a criatura maligna.
Os olhos do monstro espelharam o rosto redondo da menina com uma secreta e deliciosa malícia.
Para esconder a maldade, não basta ter idade; é preciso muita perícia.
Pois a criatura maligna era mais velha do que o mundo. E a sua maldade era um saco de truques sem fundo.

Mas eu não sei se quero ir, disse a menina inocente como quem não sabe reconhecer o perigo mas apenas o pressente.
Estava na hora de dormir, e a menina não sabia se estava acordada ou sonhava nas florestas encantadas do inconsciente.
Mas tu não vens comigo, disse a criatura maligna. Não é assim que funciona. Eu é que vou contigo. Eu sou o teu cachorrinho e tu és a minha dona. Vá, anda comigo. Vamos brincar nesta fantasia. Se eu fosse criança, era o que eu queria.
Prometes que é só a brincar?, perguntou a menina. Prometes que eu ainda vou ser eu quando a brincadeira acabar? E se eu não encontrar o caminho de volta? A minha mãe vai-se zangar. E depois eu vou chorar.
Não, não, menina inocente, discordou a criatura maligna. Vai ser muito diferente. Aqui, na nossa brincadeira, vamos fazer de conta que não há pais. E é fácil encontrar o caminho, sabes? Só tens de ver por onde vais. Olha, é por aqui. Anda comigo. Vais ver que ninguém te vai dar castigo.
Prometes?
Prometo.

Então, vou, disse a menina inocente. Mas, primeiro, tens de me dizer para onde vou.
Oh, isso não é importante, garantiu a criatura maligna. É um lugar especial, só para ti. Anda, é por aqui.

13 comentários:

Rafeiro Perfumado disse...

Isso poderia ter sido retirado do discurso de um padre...

Kitty * disse...

Fez-me lembrar o poema "Cântico Negro" de José Régio.

FAQ(er) disse...

Rafeiro, poder, podia, só que não seria a mesma coisa... seria muito pior. :D

--

Kitty, qualquer semelhança com o poema "Cântico Negro" é pura coincidência de mentes brilhantes. :)

Sininho disse...

numa tentativa de fugir à chibata...
é uma nova versao da 'alice no pais das maravilhas'?
ou a historia do bicho papão, mas mais mau do que o costume?
fiquei com medo.

FAQ(er) disse...

A Alice não é tão interessante quanto o próprio conceito que invoca. A Alice, por sua vez, também será uma versão sabe-se lá de quê.
E o bicho-papão já não assusta ninguém desde que os ogres começaram a ser personagens simpáticas em filmes de animação.

Aqui, o mal é outro. Muito mais profundo e antigo. É um monstro que nunca nos diz quem é. Umas vezes, o rosto é-nos estranho. Outras vezes, tem cara de amigo.
Há que proteger as criancinhas.

Ritinha disse...

E o problema é que por aí andam muitas criaturas malignas e crianças inocentes -.-'

FAQ(er) disse...

E um problema mesmo grave é quando as criaturas malignas andam por aí disfarçadas de crianças...

Fada disse...

"uma saco de truques sem fundo"

Uma saco?... :p

Assustador, este texto...
E algumas das tuas respostas...

Olhó fel, homem, olhó fel!!!

(Eu sou muito inocente...
Mas ai de quem me queira ferrar o dente...)

Sininho disse...

confesso que me arrepiou cada frase.
imaginamos o pior a cada virgula que se aproxima.

TERESA SANTOS disse...

Cheguei aqui através da Sininho.
E parei!
Primeiro impacto: o ar despojado do blog. O negro da letra e o branco do fundo; a leveza da imagem, em contraste com a mensagem subtil de cada post.
Vou ficar por aqui, claro!

FAQ(er) disse...

Fada, preferias uma bolsa Gucci? :)

O texto é o que é... uma interpretação nua da condição humana.
Como tal, o fel é o tempero adequado.

(a tua inocência não me convence... aposto que também tens um saco de truques algures...)

--

Sininho, mesmo nos dias mais longos e iluminados, a escuridão persiste nos recantos escondidos e nos lugares fechados. Não vás pela sombra. ;)

--

TERESA, junta-te aos bons e serás como eles. :)

TERESA SANTOS disse...

Nem mais!

Fada disse...

Porquê, andas a oferecê-las?

Nem eu disse o contrário, só te disse para teres atenção... Não vá falhar-te a mão...

(Não precisa de te convencer... Existe, mesmo que não acredites. E não, não tenho saco de truques. Perdi-o numa feira qualquer e agora só uso uma bola de cristal... ;) )

Achavam mesmo que eu tinha respostas?

Estão à espera que responda?

FAQed

A minha foto
cada um sabe de si (si, de mim, não de você... você sabe de si, ou seja, cada um sabe de você... vendo bem, todos sabem de si)
Achas que o mundo é uma equação estranha sem fórmula de resolução? Já pensaste enfiar os queixos na droga mas, ah e tal, isso custa os olhos da cara? Já ponderaste (seriamente) vender os olhos da cara para enfiar os queixos na droga? Parece-te que és vítima de mau-olhado frequente e/ou persistente? Já correste tudo quanto é bruxo charlatão e uma catrefada de senhoras que acham que a palma da mão é um bilhete de identidade metafísico? Resumindo... não regulas bem da cabeça?Pois não desesperes! A cura (vá, terapia... não queremos ser demasiado optimistas) para toda essa angústia EXISTE! A comunidade científica mais céptica dirá que é um placebo mas, afinal, o que raio sabem esses! Por fim... tcharan! O caminho para a CURA (terapia, vá): thefaqer[at]gmail[dot]com

Apelo à cidadania.

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Nada de roubalheiras literárias, pode ser? (se não puder ser, que as mentes larápias se transformem numa lesma em decomposição... uma ratazana cadavérica também serve... conhecem o termo "esforriqueira"?... bem, isso adequa-se ao estado de matéria em que devem ficar os órgãos internos dos/as prevaricadores/as)