- Porque é que eu estou aqui? - perguntou Adão, num sentido existencial.
- Porque é que não estás com a Eva? - interrogou-o Deus, num sentido literal.
Adão coçou estupidamente a cabeça.
- Não sei. - respondeu.
Deus descaiu os ombros, com desânimo, e disse:
- Adão és um idiota.

Qual é a cor dos teus sonhos?

imagem de LiveAndDieAgain

Voar.
Quebrar as leis e vencer o ar.
Subverter a realidade e transcender a razão da idade.
É um sonho de criança.
Um olá apetecido à arbitrariedade de, contra todas as previsões e sensações, acreditar na esperança.
Acreditar que será sempre a subir.
Sem desistir.
Sem recear que a vertigem acabe por vir.
Sem o balão rebentar para nos fazer cair.
Às vezes, a realidade precisa de uma facada de cor.
Uma pequena vingança contra o preto e branco da dor.
A cor é uma vontade que nos corre nas veias.
É o querer primordial. Animal. Sanguíneo.
É a linha cinzenta entre o bem e o mal. É o doce. O amargo. O picante. O Sal. É a irracionalidade senhora do seu domínio, onde nem toda experiência dos erros nos vale.
É viver sem medo de sofrer.
Se é o medo de sofrer que vive por nós, nessa vida, sofremos sós.
Assim não se descobre a cor do céu.
As nuvens serão sempre um véu.
Mas eu acho que não.
Acredito.
O ar é coisa que me pertence na palma da mão.
Como é que eu sei?
Se adivinhei?
Bem... foi-me dito.

6 comentários:

Eli disse...

Quem és tu?

:)

Eli disse...

Não sei qual é a cor dos meus sonhos.

O que diz o teu sorriso?

:)

TERESA SANTOS disse...

Começo por parafrasear a Eli: quem és tu?
Cada vez mais: "Às vezes, a realidade precisa de uma facada de cor."
Delimita, se fores capaz, essa "linha cinzenta entre o bem e o mal"

Fada disse...

(Fui eu quem te disse?)

Ora... Sonho fraquinho, esse, só com uma cor...

Os meus sonhos são multicoloridos... E os pesadelos também.

(Bonito texto. Mas não fiques convencido, só achei que te devia dizer. :) )

Beijito :)

FAQ(er) disse...

O eterno ser ou não ser... já o Hamlet se martirizava com isso.

Eli, o meu sorriso diz quem sou (quem não vê, não sabe). :)

--

TERESA, eis a questão... :)

Entre o bem e o mal, está a moral. O mal diz-nos que tudo é possível. O bem diz-nos que nem tudo é permitido. A linha cinzenta que os separa é o querer de cada um. Um querer dita a moral (quem quiser discordar, estará à vontade... e também estará errado).

--

Fada, não me leves a mal, mas as pessoas já não têm nada (de novo) para me dizer. Aprendi a escutar as coisas (por mais palerma e paranóico que isso possa parecer). :D

É que as coisas não querem nada. E as pessoas querem tudo. Não se pode dar ouvidos a criaturas tão gananciosas. ;)

Fada disse...

Não te levo a mal. Nem a bem.
Pensando bem, não te levo a lado nenhum! :D
Creio que ainda te surpreenderia, mas deixo-te acreditar naquilo que dizes. ;)

E nem toda a gente quer tudo, e nem toda a gente é gananciosa.
Assim como assim, ainda bem que sou uma Fada! ;)

Sim, escutar as coisas é importante.
Não tem nada de paranóico... (A menos que comeces a responder-lhes...eheheh)

Beijinho

Achavam mesmo que eu tinha respostas?

Estão à espera que responda?

FAQed

A minha foto
cada um sabe de si (si, de mim, não de você... você sabe de si, ou seja, cada um sabe de você... vendo bem, todos sabem de si)
Achas que o mundo é uma equação estranha sem fórmula de resolução? Já pensaste enfiar os queixos na droga mas, ah e tal, isso custa os olhos da cara? Já ponderaste (seriamente) vender os olhos da cara para enfiar os queixos na droga? Parece-te que és vítima de mau-olhado frequente e/ou persistente? Já correste tudo quanto é bruxo charlatão e uma catrefada de senhoras que acham que a palma da mão é um bilhete de identidade metafísico? Resumindo... não regulas bem da cabeça?Pois não desesperes! A cura (vá, terapia... não queremos ser demasiado optimistas) para toda essa angústia EXISTE! A comunidade científica mais céptica dirá que é um placebo mas, afinal, o que raio sabem esses! Por fim... tcharan! O caminho para a CURA (terapia, vá): thefaqer[at]gmail[dot]com

Apelo à cidadania.

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Nada de roubalheiras literárias, pode ser? (se não puder ser, que as mentes larápias se transformem numa lesma em decomposição... uma ratazana cadavérica também serve... conhecem o termo "esforriqueira"?... bem, isso adequa-se ao estado de matéria em que devem ficar os órgãos internos dos/as prevaricadores/as)